Photo by Annie Spratt on Unsplash

A Europa é bastante diversa e plural. A região norte do continente, onde estão os chamados Países Nórdicos e a Escandinávia, é um bom exemplo disso, sobretudo por conta das características únicas desse território. Ah, e quem não se lembra dos vikings?

Antes de falarmos sobre as línguas nórdicas, porém, é bom esclarecer que, apesar das semelhanças culturais, históricas e até linguísticas, Países Nórdicos e Escandinávia não usam nomes diferentes para dizer a mesma coisa. São diferentes. Eis, portanto, a primeira curiosidade.

Leia também:

Penedo: um pedaço da Finlândia no Brasil

Google cria app Woolaroo para preservação de línguas indígenas

6 curiosidades sobre o finlandês

Na realidade, os Países Nórdicos contemplam uma região formada pela Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia, Islândia e as regiões da Groenlândia, Ilhas Faroé e Ilhas Aland. No caso, trata-se de cinco nações, mais três regiões consideradas autônomas. 

Já a Escandinávia é formada apenas por Dinamarca, Noruega e Suécia. Esses países constituem o Conselho Nórdico e há um enorme senso de cooperação entre eles. Uma outra curiosidade sobre o povo do norte da Europa é que Dinamarca (considerado o país mais democrático do mundo), Noruega e Islândia estão no topo do ranking dos países mais felizes do mundo, segundo a World Happiness Report.

Seis línguas que guardam algumas semelhanças

Portanto, as línguas que envolvem os Países Nórdicos e a Escandinávia são seis no total: finlandês, dinamarquês, sueco, norueguês, islandês e a língua feroesa, respectivamente os idiomas de Finlândia, Dinamarca, Suécia, Noruega, Islândia e Ilhas Faroé. Estima-se que hoje em dia cerca de 25 milhões de pessoas habitam a região e falam esses idiomas.

O dinamarquês, o norueguês e o sueco são conhecidos por serem muito próximos. Ou seja, quem aprende um, aprende os outros dois com certa facilidade. Vale lembrar que no passado as três línguas receberam influência, principalmente, do holandês e do alemão. Isso acaba por explicar em partes essa similaridade. 

Além disso, a proximidade e a boa relação política entre Noruega e Dinamarca também contribuíram para a semelhança entre as línguas desses países. Muito interessante!

Influência da Escandinávia no inglês

Entre os séculos IX e X, a falta de terra fértil na Escandinávia fez com que dinamarqueses e noruegueses chegassem até as Ilhas Britânicas. Em princípio, houve um conflito, com forte resistência da Inglaterra Anglo-Saxônica. Mas, os valentes vikings não se intimidaram e propuseram um acordo para se estabelecer na região norte.

E essa grande emigração da Escandinávia acabou por interferir na comunicação local, já que a língua nórdica antiga, que predominava entre os vikings, influenciou no inglês falado naquela área. Houve, de certa forma, uma fusão de línguas. 

Algumas influências se estabeleceram por completo. Por exemplo, foram os escandinavos que introduziram os pronomes they (eles), their (seus) e them (eles). Outros exemplos são palavras que começam com “sk” e “sc”, tais como skill, scare, score, entre outras.

Por falar em britânico com influência nórdica, vale citar o mundialmente famoso autor Neil Gaiman, roteirista da série American Gods, que está na Prime Video e retrata essa influência da cultura nórdica, e autor do livro Mitologia Nórdica.

A verdade é que essa cultura antiga e tão rica está muito presente nas nossas vidas. E às vezes, nem nos damos conta. Quem aí se lembra do Thor?

gama-branco

A Gama! surgiu da iniciativa de profissionais do mercado de tradução que, após 10 anos de experiência na coordenação de projetos de tradução escrita e interpretação simultânea, perceberam a carência do mercado por uma agência que seguisse padrões internacionais na qualidade dos serviços prestados e no relacionamento com o cliente – não importando onde o cliente esteja.

+55 11 2081-0447

 Envie um e-mail

2022 © Gama! Traduções e Interpretações. Política de Privacidade | Termos de Uso