Os indígenas são parte fundamental na história do desenvolvimento brasileiro. São figuras importantíssimas na formação dessa nação e seu legado são verdadeiros patrimônios da cultura nacional e que, portanto, devem ser preservados a todo custo. Atualmente, são mais de 800 mil índios de 305 etnias diferentes, representando cerca de 0,5% da população brasileira. Estão presentes em todos os estados do país, dos quais a maior parte estão na zona rural (mais de 500 mil), de acordo com as mais recentes informações do Censo.

Tomando como base o tamanho do Brasil, esse número pode ser considerado pequeno, sobretudo porque há registros de uma população de cerca de 3 milhões de pessoas quando os portugueses chegaram aqui. Em 1570, já se falava em 1,2 milhão. De 1500 até 1970, houve uma queda drástica na população indígena no país, com muitos povos sendo extintos. É de se lamentar.

Do ponto de vista linguístico, os índios oferecem uma contribuição significativa para a cultura nacional. Das 216 línguas consideradas vivas no Brasil, segundo o compêndio Ethnologue, 201 são indígenas e 15 não são indígenas. Impressionante! Entretanto, 56 estão com problemas e 97 estão morrendo – praticamente todas indígenas. A língua portuguesa que falamos hoje, inclusive, sofreu uma influência significativa das línguas indígenas.

Os índios no Brasil e suas línguas

Há registros de 274 línguas indígenas faladas no Brasil, segundo o último Censo, do ano de 2010, embora seja difícil precisar esse número por conta das variações e etnias. O povo Tikuna, com mais de 30 mil falantes, é a maior população indígena registrada no Brasil. Logo, é a língua mais falada. Em segundo lugar, aparece o Guarani Kaiowá, com quase 25 mil pessoas, seguido pelo Kaingang, com quase 20 mil. Outros povos também possuem população numerosa, como os casos dos Yanomami (12 mil), Xavante (11 mil), Guajajara e Mawé (8 mil) e Terena (6 mil).

37,4% dos indígenas com mais de 5 anos falavam em seu domicílio ao menos uma língua indígena, e 57,1% não falavam nenhuma. Quando analisadas as pessoas que vivem dentro dos territórios indígenas, esses índices mudam para 57,3% os que falam a língua indígena e 32,7% os que não falam.

Com relação à língua portuguesa, 76,9% dos indígenas falam a língua, enquanto 17,5% não falam o português. Ao se observar apenas os que vivem dentro das terras indígenas, o percentual cai para 61,1% os que falam a língua portuguesa e 28,8% os que não falam.

Distribuição geográfica

A região Norte concentra o maior percentual de índios em todo o país: 37%. O estado do Amazonas, com 55%, tem a maior população indígena na região, seguido de Roraima. A Nordeste conta com aproximadamente 25,5% da população. Bahia e Pernambuco, pela ordem, têm a maior concentração de indígenas na região. A Centro-Oeste surge em terceiro lugar em número de índios residentes, com o Mato Grosso do Sul se destacando como o maior estado na região: 56%. As regiões Sudeste e Sul são as que apresentam o menor número de indígenas no Brasil.

Leave a comment

gama-branco

A Gama! surgiu da iniciativa de profissionais do mercado de tradução que, após 10 anos de experiência na coordenação de projetos de tradução escrita e interpretação simultânea, perceberam a carência do mercado por uma agência que seguisse padrões internacionais na qualidade dos serviços prestados e no relacionamento com o cliente – não importando onde o cliente esteja.

+55 11 2081-0447

 Envie um e-mail

2022 © Gama! Traduções e Interpretações. Política de Privacidade | Termos de Uso