A República do Cazaquistão vive atualmente um processo importante de mudança de seu alfabeto oficial. O atual cirílico está cedendo espaço para outro baseado no latino, utilizado para escrever a maior parte das línguas ocidentais. A mudança vai acontecer em etapas e a previsão é que se encerre até o ano de 2025. Contar com um alfabeto latino significa estar mais integrado ao mundo ocidental.

Trata-se, de certa forma, de uma volta ao passado, já que na história o cazaque fora escrito com os formatos árabe e latino. Os jovens estão satisfeitos com o novo alfabeto, dizem pesquisas locais de um instituto linguístico. Em 2007, 47% dos jovens entre 18 e 25 anos apoiavam a mudança. Em 2016, a aprovação a essa ideia nessa mesma faixa etária subiu para nada menos que 80%.

Alto investimento e mudanças graduais

Um dos objetivos por trás dessa iniciativa é reforçar a posição de país independente diante do mundo. O custo dessa política, entretanto, não será baixo. Estima-se que os investimentos com a mudança no alfabeto cazaque nos próximos sete anos cheguem a R$ 2,4 bilhões, divididos em três fases.

A primeira fase, que consiste no período entre 2018 e 2020, prevê a criação de um departamento do Estado para liderar a transição, a tradução de livros e outros materiais didáticos e o treinamento de professores. Já entre 2021 e 2023, a nova escrita será incorporada ao público e as diretrizes de ensino serão reformuladas.

E na última fase do programa, entre 2024 e 2025, será feita a tradução de documentos oficiais e das notícias da mídia, além de uma ampla campanha de conscientização da população. Aqui estão incluídos documentos de identidade, passaportes, leis e regulamentações. Tudo o que diz respeito a papéis que governos precisam para funcionar precisará ser traduzido.

Mudanças como essa ocorreram décadas atrás em outras ex-repúblicas soviéticas. O Azerbaijão, por exemplo, começou a rodar livros didáticos no alfabeto latino cerca de um ano após o fim da União Soviética, em 1991. O Turcomenistão é mais um exemplo, que iniciou essa transição em 1993.

Língua russa é a mais fluente

Hoje, o cazaque e o russo são as línguas oficiais do Cazaquistão. E, conforme informações do último censo, em 2016, cazaques formam dois terços da população do país, enquanto os russos representam 20% dos habitantes. Porém, há uma inversão quando o assunto é o idioma predominante. Quando o país europeu estava sob responsabilidade dos soviéticos, o russo foi priorizado no Cazaquistão, e mais de 90% da população é fluente no russo. Já a língua cazaque é dominada por 74% dos locais.

O uso do idioma acaba dependendo da região onde se está. Nas províncias do Norte e grandes centros urbanos influenciados pela Rússia, a exemplo da capital Astana, a língua russa predomina tanto entre os falantes que estão na rua, quanto nos escritórios do governo. Já nas regiões Sul e Oeste do país, a língua cazaque é a mais usual.

Tradução simultânea

A transição do alfabeto pede alguns cuidados ainda. No início deste ano, o presidente Nazarbayev, bilíngue, estabeleceu que as reuniões governamentais fossem realizadas na língua cazaque. Contudo, o russo é há muito tempo a língua utilizada para os assuntos de interesse do Estado, e existem muitos comandantes russos no poder. Uma reunião recente transmitida pela televisão revelou oficiais do alto escalão do governo com dificuldade de se expressar na língua; alguns, inclusive, optaram pela tradução simultânea.

Fonte: BBC News Brasil

Leave a comment

gama-branco

A Gama! surgiu da iniciativa de profissionais do mercado de tradução que, após 10 anos de experiência na coordenação de projetos de tradução escrita e interpretação simultânea, perceberam a carência do mercado por uma agência que seguisse padrões internacionais na qualidade dos serviços prestados e no relacionamento com o cliente – não importando onde o cliente esteja.

+55 11 2081-0447

 Envie um e-mail

2022 © Gama! Traduções e Interpretações. Política de Privacidade | Termos de Uso